Livre-se de um viver estressante e desesperador

Algumas palavras há que necessitamos revisitá-las e voltarmos a fazer aquela curiosa pergunta: O que isso significa?

A circunstância dessa pergunta foi relatada no livro de Atos capítulo 02, verso 12, momento quando o Espírito Santo veio sobre os apóstolos causando maior repercussão em Jerusalém. Segundo a mesma passagem, "quando o som foi ouvido, a multidão se aglomerou...e, perplexos e pasmos, todos diziam uns aos outros: O que isso quer dizer?"

Que a luz do Evangelho da Glória de Cristo auxilie e oriente onde houver perplexidade.

Hoje pouco se comenta sobre pecado. Esta palavra retrata bem o estado no qual o ser humano se encontra, ou seja, nasce, cresce e desenvolve-se em pecado e isto o torna prisioneiro de um incontestável cativeiro, prisão esta que não é sentida nem percebida até o momento que os olhos do prisioneiro se abrem e seus sentidos são despertos para a realidade de uma condição que, não havendo mudança, pode compromenter todo seu viver e a eternidade.

Os livros de autoajuda não tocam no assunto nem os palestrantes da boa vida light, tampouco os que querem agradar mais o ser humano que a Deus. Bem, aí a questão torna-se delicada no que se refere ao conteúdo da legítima mensagem do evangelho, pois não há como conciliar a vontade comprometedora e compromissada de Deus com a pretensa e indiciplinada vontade do ser humano, como apóstolo Paulo explicitamente afirmou escrevendo: "...será que procuro agora o favor dos homens ou o favor de Deus? Será que procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando a homens, eu não seria servo de Cristo." Gálatas 01:10.

A vontade humana, sempre firmada no que os olhos veem e naquilo que é presente e de gratificação momentânea, prende e escraviza todo aquele que se dispõe agradá-la. A pessoa que leva a vida tentando fazer o que agrada a todos torna-se escrava de opiniões, pareceres e direcionamentos. Nessa situação o viver realmente é estressante e desesperador. Muitos gostam de opinar e fazer prevalecer seu jeito de agir e modo de ser, até mesmo o estilo de educação que herdaram, tipo " apanhei muito, também vou bater", ou "foi assim que fui educado, é assim que vai ser". Ninguém deve arcar com a responsabilidade pela maneira como alguém foi criado ou educado, necessário é, isto sim, transformar o que é deficiente e precário. Se ignorarmos a noção de cruz, agonia, morte, ressurreição de Cristo e uma nova vida com Ele, continuaremos ferrenhos beirando à insensibilidade e reis de um reino falido e sem perspectiva de futuro, onde o "eu-mim mesmo" com porrete na mão fuzila suas ordens.

Pecado, no sentido lato da palavra, significa e claramente quer dizer "errar o alvo".

Quem não erra? Erramos todos. Mesmo nossos alvos, isto quando os temos, se não encarados com a devida seriedade chegamos a lugar nenhum. No entanto, quando incorremos em erro e achados nesse estado, isso não significa que devemos permanecer nele. Se algo não deu certo ou não saiu como desejávamos não é justificativa nem desculpa para continuarmos atolados no pântano do desânimo, da discórdia, da revolta e da entrega aos sentimentos negativos.

Quantos de nós hoje temos 20, 30, 40 ou mais anos vividos. Vamos usar aqui o recurso da ilustração para melhor compreensão.

Roupas, isso mesmo, roupas, aquelas que usamos diariamente, nosso vestuário, decidido está que não voltaremos a usar as velhas roupas que usávamos no passado. Seria uma incoerência. Mesmo que tais peças, se não foram guardadas para posterior recordação, nem mais existem. Pessoalmente, não desejo, não quero, não "cairia" bem nem tampouco demonstraria bom senso usar atualmente roupas que usei quando tinha meus 10 ou 15 anos. Roupas diversas foram usadas naquela época. Com elas fiz alguns passeios, brinquei, trabalhei, cantei, sorri, chorei. Naquela época foram minhas companheiras de todos os momentos, pois ninguém há que exista e permaneça nú, a roupa é necessária para nos cobrir. Aquelas roupas fizeram parte do meu dia-a-dia, de minhas experiências, enfim, lá estavam elas e lá no passado ficaram, pois continuei minha jornada no caminho do desenvolvimento, não parei um minuto sequer no processo de crescer, amadurecer e buscar compreensão de tudo que ao meu redor está. Tornaram-se rotas e rasgaram-se pelo uso contínuo, envelheceram, devido a isso foram descartadas, parti para outras maiores, algumas coloridas outras nem tanto, mais bonitas e melhores.

Assim deve ser a nossa existência no que se refere aos momentos e experiências pelos quais passamos. O próprio verbo "passamos" indica que se trata de fase como tantas outras que existirão em nosso viver. Etapas e o continuar que não para nem vai parar enquanto vida houver.

Portanto, dê um basta à fase de autopiedade (sentimento, emoção ou comportamento de pena de si mesmo diante de um evento estressante) lamentando o que não é possível mudar.

A vida continua, quer queira ou não. Levante a cabeça. Coragem! Lance fora a encarquilhada rouparia do passado que nem mais cabe em você, os panos velhos e rotos dos dias que se foram e nunca mais voltam, e vista-se da novidade de vida que há em Cristo Jesus, das multicores alegres dádivas e dons do Espírito Santo, revista-se da nova criatura que é você em Cristo, criação em Deus. Envolva-se com o cinto da verdade vestindo a couraça da justiça, firme os passos com os calçados do evangelho da paz e prossiga, prossiga, prossiga, não somente esperando ser abençoado, mas, tornando-se uma Bênção.

Então você perguntará: "Bem, se por um acaso eu errar em algum momento?"

Sábia sua pergunta. A Palavra de Deus responde declarando expressamente que "se alguém pecar,"- note bem que agora pecar é uma exceção, não uma regra, não mais faz parte do seu estilo de vida - a partícula subordinativa "se..." antes do "...alguém pecar" demonstra isso, então, "se alguém pecar temos um Advogado junto ao Pai, JESUS CRISTO, O JUSTO. ELE É A PROPIAÇÃO PELOS NOSSOS PECADOS...". Confessamos para que o Advogado assuma a questão, pois esse Agente Jurídico tem argumento extraordinário para ganho de causa: sua vida entregue, seu sangue derramado. I João 01:09; 02:01 e 02.

Sorria, "se Deus é por nós; quem será contra nós?" Tal pergunta está ecoando pela eternidade afora; onde encontrará voz de resposta? Toda boca é mantida calada ante a visão da cruz, do sangue, do túmulo vazio, do Trono ocupado, do Rei Jesus que afirmou: "...está consumando", "...é-me dado todo poder no céu e na terra." Romanos 08:31, João 19:30, Mateus 28:18.

Alguém se candidata apresentar oposição Àquele que marcou a eternidade com esses registros? Alguém manifestará pretensão de questionar? Entre os que cremos essa questão está definitivamente encerrada.


 Amauri Galvão - www.palavraquefunciona.com

Não basta ser meramente humano, tem de ser verdadeiramente humano, ser espiritual... isto define nossa sede (desejo intenso) pelo que é eterno - I Co 2:14,15.

Amauri Galvão www.palavraquefunciona.com

 

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons enki22, broo_am, broo_am  © 2009 Amauri Galvão - Todos os direitos reservados.