Tiago, irmão de Jesus

Esse é o testemunho mais detalhado de Hegésipo, em que concorda plenamente com Clemente. Tiago era de fato tão admirável e tão celebrado entre todos por sua retidão, que mesmo os mais sábios dos judeus pensavam que a morte de Tiago fora a causa do cerco imediato de Jerusalém.

Quando Paulo apelou a César e foi enviado a Roma por Festo, os judeus, desapontados em sua esperança de vê-lo atingido pela trama por eles armada, voltam-se contra Tiago, o irmão do Senhor, a quem os apóstolos haviam confiado o assento episcopal em Jerusalém. Suas medidas nefastas contra ele foram as seguintes. Eles o conduziram para um lugar público e exigiram que renunciasse à fé em Cristo diante de todo povo, mas contrariando as expectativas de todos, em voz firme e muito acima do que esperavam, declarou-se por completo diante de toda a multidão e confessou que Jesus Cristo era o filho de Deus, nosso Salvador e Senhor. Não conseguindo mais suportar o testemunho daquele que, por causa do elevado nível que tinha atingido na virtude e na piedade, era considerado o mais justo dos homens, mataram-no, usando como ensejo a anarquia reinante, já que Festo havia morrido na judéia, deixando o distrito sem governante nem líder. Ora, quanto ao modo pelo qual Tiago morreu, já foi declarado pelas palavras de Clemente: que ele foi lançado de uma ala do templo e espancado com um malho até a morte. Hegésipo, que pertence a geração seguinte à dos apóstolos, fornece o relato mais exato a seu respeito em seu quinto livro, como se segue: " Ora, Tiago, o irmão do Senhor que, por haver muitos com esse nome, era chamado justo por todos deste os tempos do Senhor até o nosso, recebeu o governo da igreja juntamente com os apóstolos. Este era santo desde o ventre de sua mãe. Ele não bebia vinho nem bebida fermentada, e se abstinha de alimento animal; nenhuma navalha passava pela sua cabeça; jamais se ungia com óleo e jamais ia aos banhos. Somente ele tinha permissão de entrar no santuário. Jamais vestia roupas de lã, mais de linho. Ele costumava entrar sozinho no templo, sendo com freqüência visto de joelhos, intercedendo para que o povo fosse perdoado, de modo que seus joelhos ficaram duros como os de um camelo por causa de suas súplicas habituais, ajoelhando-se diante de Deus. Assim, por sus piedade extrema era chamado justo e Oblias ( ou Zadique e Osleã ) que significa justiça e proteção do povo, conforme os profetas declararam a seu respeito.

Assim, alguns das sete seitas dentre o povo, mencionados acima por mim em meus comentários, inquiriram-lhe qual seria a porta para Jesus, e ele respondeu que ele era o Salvador. Pelo que alguns creram que Jesus é o Cristo. Mas essas seitas acima mencionadas não criam nem na ressurreição nem que alguém viria para dar a cada um de acordo com suas obras, mas os que acreditaram nisso, acreditaram por causa de Tiago. Ora, desde que muitos, mesmo dos governantes, creram, houve um tumulto entre os judeus, escribas e fariseus, dizendo havia o perigo de todo o povo esperar Jesus como o Messias. Assim reuniram-se e disseram a Tiago: " Rogamos que refreies o povo que se extravia após Jesus como se ele fosse o Cristo. Rogamos que persuadas corretamente a respeito de Jesus todos os que vêm para o dia da Páscoa, pois todos nós confiamos em ti. Assim coloca-te numa ala do templo para que possas estar bem visível no alto e para que tuas palavras possam ser facilmente ouvidas por todo povo, já que por causa da Páscoa todas as tribos estão reunidas, e também alguns gentios". Assim, os já mencionados escribas e fariseus colocaram Tiago num ala do templo e gritaram para ele: " Ó justo, em quem todos devemos acreditar, uma vez que o povo está se desviando após Jesus que foi crucificado, declara-nos: Qual é a porta Jesus que foi crucificado?. E ele respondeu em alta voz: " Por que me perguntas a respeito de Jesus o filho do homem? Ele está assentado nos céus à direita do grande Poder e está para vir nas nuvens do céu". E muitos foram confirmados e gloriavam pelo testemunho de Tiago dizendo: " Hosana ao Filho de Davi". Então os mesmos sacerdotes e fariseus disseram uns aos outros:" Fizemos mal em conceder tal testemunho a Jesus, mas vamos e o lancemos do alto para que temam crer nele". E gritaram dizendo: " Ah, ah, o próprio justo está enganado", e cumpriram o que está escrito em Isaías: " Tomemos o justo, pois nos causa repulsa. Portanto eles comerão o fruto de suas obras" ( Is 3 ). Assim subiram e lançaram o justo dizendo uns aos outros: " Apedrejemos Tiago, o justo", e começaram a apedrejá-lo, uma vez que não morreu de imediato quando lançado, mas virou-se e se ajoelhou, dizendo: " Imploro a ti, ó Senhor Deus e Pai, que os perdoes, pois não sabem o que fazem". E assim o apedrejavam quando um dos sacerdotes dos filhos de Recabe, filho de Recabim, de quem testemunhou o profeta Jeremias, clamou: " Parai! Que estais fazendo? O justo está orando por vós". E um deles, lavandeiro, atingiu a cabaça do justo com o malho que usava para bater as roupas. Assim Tiago sofreu martírio e o sepultaram no lugar junto ao templo, e seu túmulo ainda permanece. Ele tornou-se verdadeira testemunha tanto a judeus como a gregos de que é o Cristo. Logo depois disso Vespasiano invadiu e tomou a Judéia".

Esse é o testemunho mais detalhado de Hegésipo, em que concorda plenamente com Clemente. Tiago era de fato tão admirável e tão celebrado entre todos por sua retidão, que mesmo os mais sábios dos judeus pensavam que essa fora a causa do cerco imediato de Jerusalém, que teria ocorrido por nenhum outro motivo, senão o crime contra ele. Josefo também não hesitou em acrescentar esse testemunho em suas obras: " Essas coisas", afirma, "aconteceram aos judeus para vingar Tiago o justo, que era o irmão daquele chamado Cristo, e a quem os judeus mataram apesar de sua destacada retidão". O mesmo autor também narra sua morte no vigésimo livro de suas antiguidades, com as seguintes palavras:" Ora, quando Cesar ouviu a morte de Festo, envidou Albino como governador da Judéia. Mas o Anano que, conforme mencionamos, havia recebido o sumo sacerdócio, era especialmente audaz e ousado quanto a disposição. Ele também era da seita dos saduceus, os mais cruéis de todos os judeus na execução do julgamento, conforme já explicamos. Assim, tendo esse caráter, e pensando que tinha uma oportunidade adequada em relação a morte de Festo e Albino ainda estar a caminho, Anano convoca uma assembléia de juízes e levando o irmão de Jesus chamado Cristo, cujo nome era Tiago, e alguns outros, apresentou uma acusação contra eles, como se tivessem violado a lei e os entregou para serem apedrejados como criminosos. Mas os que na cidade eram considerados mais ponderados e mais estritos na observância da lei ficaram grandemente irados com isso e o comunicaram secretamente ao rei, rogando-lhe que escrevesse a Anano para que desistisse de fazer tais coisas, dizendo que não agiria legalmente mesmo antes. Alguns deles também foram encontrar-se com Albino quando chegou em Alexandria e explicaram que era ilegal Anano convocar o sinédrio sem seu conhecimento.

Albino, influenciado por esse relato, escreve irado para Anano, ameaçando chamá-lo para um ajuste de contas. Mas pelo mesmo motivo, o rei Agripa o destituiu do sumo sacerdócio quando o havia exercido por três meses, e nomeou Jesus, filho de Dameu, como seu sucessor". São tais os relatos a respeito de Tiago, de quem se diz que teria escrito a primeira das epístolas gerais ( universais ); mas deve-se observar que é considerada espúria. De fato, não muitos dos antigos a mencionam, nem a chamada epístola de Judas, também uma das sete chamadas epístolas universais. Entretanto sabemos que essas cartas, e o restante, têm sido empregadas publicamente na maioria das igrejas.


 

Fonte: História Eclesiástica, Eusébio de Cesaréia (CPAD)

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons enki22, broo_am, broo_am  © 2009 Amauri Galvão - Todos os direitos reservados.

montar loja virtual Webnode