Hugh Edward Alexander

... aceitou ao Senhor Jesus Cristo como salvador e consagrou sua vida a Seu serviço -  (1884-1957)

 

Quando falamos em história da Casa da Bíblia, não podemos deixar de falar de uma obra missionária chamada Ação Bíblica. Quando Deus chama um indivíduo ou uma obra, ele o faz em virtude de um plano. O plano de Deus para a Ação Bíblica começou com a conversão de um homem em 1901. O escocês Hugh Edward Alexander (1884-1957) aceitou ao Senhor Jesus Cristo como salvador e consagrou sua vida a Seu serviço. Ingressou no Instituto Bíblico de Glasgow em 1904, durante um período em que o País de Gales passava por um reavivamento da igreja. Afirmou-se então na vida de H. E. Alexander: a necessidade do testemunho, a visão missionária e o engajamento no combate pela fé.

Depois de sete anos de profundos estudos das Sagradas Escrituras e perseverantes orações, iniciaram-se os trabalhos com crianças, cursos bíblicos para adultos e pregações bíblicas da salvação em Jesus Cristo.

No período entre 1913 à 1918 houve campanhas de evangelização na Suíça francesa, onde manifestou-se o reavivamento produzindo as vocações daqueles que constituíram a primeira geração da Ação Bíblica.

Em 1914, teve início a publicação da revista Le Temoin que imediatamente definiu-se como um órgão defensor da fé. Ao mesmo tempo H. E. Alexander abriu em Genebra, a primeira Casa da Bíblia, que tinha o nome de: Depósito das Escrituras Sagradas e Escritório de publicações da Aliança Bíblica.

Em 1924 a oposição religiosa, tentou, obtendo apoio das autoridades civis, conseguir a expulsão de H. E. Alexander do território suíço. Mas quando a sua inocência foi reconhecida a manobra fracassou. Esse momento difícil ajudou a fortalecer a convicção de que Deus desejava que a obra prosperasse.

A Ação Bíblia começou a se desenvolver e houve a necessidade de redigir um Manual de Instrução para os membros da Ação Bíblica que expunha a natureza da Ação Bíblica, sua missão no mundo e na Igreja de Jesus Cristo, com os símbolos da trombeta, da tocha e da espada. (Juízes 7:15-23). A trombeta se referia ao testemunho, a tocha à difusão da Palavra de Deus e a espada ao bom combate da fé.

Continuando esta tarefa de organização, H. E. Alexander designou um corpo de presbíteros, iniciou a redação dos boletins de informação missionária para alimentar as reuniões de oração dos membros e abriu a Casa da Bíblia de Paris em 1925.

Em 1926, nasceu a idéia de fundar uma Escola Bíblica. As coisas, então aconteceram rapidamente. Os presbíteros foram informados da decisão de comprar um terreno em Cologny. O ato da compra foi assinado em fevereiro, e uma brochura solicitando fundos para a construção suscitou um impulso maravilhoso de liberalidade. Precisavam reunir 410.000 francos suíços. Menos de dois anos mais tarde a Escola estava terminada e completamente paga pelas ofertas. A casa foi consagrada a Deus sob inspiração de Isaías 54:2-3 e a propriedade da Escola Bíblica recebeu o nome de Le Roc (A Rocha).

Esta construção representava um ponto de partida para alcançar outros campos missionários como: Itália, Iugoslávia, Espanha, Portugal, Norte da África, Egito, Líbano, Índia, Ásia Central. Outras Casas da Bíblia foram abertas.

Em 1928 um homem chamado Charles Kolher, deixando a Suíça, chegou ao Brasil obedecendo à um chamado doSenhor. Com a sua esposa e filha desembarcou no porto do Rio de Janeiro donde seguiu para a cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais. Ali começou um trabalho de evangelização, ganhando o sustento de sua família dando aulas de francês. Seguiu então em 1936 para o Rio Grande do Sul e deixou o Brasil para se estabelecer em Buenos Aires, onde fundou uma missão evangélica.

Durante o período de 1929 à 1931 outros alunos da Escola Bíblica de Genebra chegavam ao Brasil, entre eles a Srta. Trumple, o casal Berckenhagem e o Sr Willy Macco. Estes pioneiros não receberam nenhum sustento material da Ação Bíblica. Como Paulo, testemunhavam e trabalhavam para seu sustento.
Em 1932 um casal (Jacques e Catarina Eisenhut) que, em 1926 tinha deixado o Brasil para gozar da aposentadoria na Suíça, voltaram convertidos ao nosso país. Abriram um depósito bíblico no seu próprio apartamento, na cidade de São Paulo.

O casal, junto com a Srta. Augustina Mange que acabava de chegar da Suíça, abriram a primeira Casa da Bíblia no Brasil em 1938. Localizava-se na Rua Dom José de Barros, em São Paulo. Houve conversões nesta loja. Osconvertidos formaram o primeiro núcleo da Ação Bíblica no Brasil
Assim de 1924 a 1940, Deus colocou a Obra em terreno firme, deu-lhe uma estrutura e em seguida segurança para a expansão. Esta fase de fortalecimento precedeu e garantiu o alongamento das cordas e o alargamento do espaço da tenda (Is 54:2-3). Se as estacas não estivessem firmes, a tenda não poderia ser alargada.

Depois de 1940 foi criada a Sociedade Bíblica de Genebra que passou a controlar as Casas da Bíblia. Esta obra tomou uma grande extensão e não parou de crescer. Em cinqüenta anos, dois milhões de Bíblias foram impressas. Além das Bíblias, Deus nos confiou um ministério de publicação de obras de evangelização e edificação, sem mencionar as revistas para crianças, adolescentes e adultos. Assim, a Ação Bíblica assume responsabilidades em relação ao Corpo de Cristo na edição da Palavra de Deus.

Aos campos já mencionados, se juntaram primeiro o Brasil, depois o oeste africano.

Em 1951 a Casa da Bíblia mudou-se para a Rua Senador Feijó, 133. Onde permanece até hoje. Também foram elaborados os primeiros estatutos da Ação Bíblica no Brasil.

Entre 1948 e 1957 diversos obreiros vieram da Suíça (Gertrudes Sarbach, Marie Louise Luthi (Mauerhofer), Charles Mathez e família, Willy Mauerhofer, sua esposa Gertrudes e 2 irmãs Ana e Dora, os casais Reichen, Mazzoni, Roulet, Gisiger e Sra. Esther Haldimann.

Em 1954, durante o IV centenário da cidade de São Paulo. Debaixo da grande marquise do Ibirapuera houve uma grande exposição onde a Casa da Bíblia participou com um estande vendendo milhares de Bíblias.

O casal Timóteo e Neli Mazzoni estabeleceram-se na cidade da Bauru em 1959. Dali o Sr. Timóteo percorria os estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso e Goiás. Em dois anos de viagem mais de 13.000 Bíblias foram vendidas.

Foi aberta em 1962 a filial da Casa da Bíblia em Bauru. A família Gisiger foi transferida para esta localidade. Além da Casa da Bíblia começou um intenso trabalho de evangelização, do qual resultou a Igreja Evangélica Ação Bíblica atual.

Atualmente a Ação Bíblica tem cerca de cinqüenta igrejas, na Suíça, França, Itália, Portugal, na Costa do Marfim, Bolívia e Brasil. As Casas da Bíblia existem sobre 3 continentes: Europa, África e América do Sul.

Nosso olhos estão voltados para o futuro, onde Deus quer nos conduzir em obras maiores tanto em profundidade como em extensão contando que o Espírito de Vida que está em Jesus Cristo nos anime e que nos mantenha fiéis para com Deus e fiéis à vocação que Ele nos deu. E até hoje com muita luta estamos levando este ministério a diante, a fim de que mais pessoas possam conhecer o evangelho, e se converter a Jesus Cristo, através do nosso ministério.

Obrigado por visitar-nos, seja sempre bem-vindo em nossa história.


 


Fonte: www.casadabiblia.com.br

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons enki22, broo_am, broo_am  © 2009 Amauri Galvão - Todos os direitos reservados.

Website gratis Webnode